Diretrizes e Guidelines Insuficiência Cardíaca

Como saber se o edema é de insuficiência cardíaca?

Escrito por Humberto Graner

Esta publicação também está disponível em: Português

Recentemente publicada, o consenso de especialistas do ACC sobre o manejo da insuficiência cardíaca com fração de ejeção preservada (ICFEp) trouxe uma abordagem interessante para avaliação clínica do paciente com edema.

Neste documento, ao examinar um paciente com edema de membros inferiores, o primeiro passo deve ser diferenciar edema de linfedema. O linfedema é definido como o acúmulo anormal de líquido intersticial e tecido fibroadiposo resultante de lesão, infecção ou anormalidades congênitas do sistema linfático. Uma história sugestiva de fatores de risco, como dissecção de linfonodo, é útil, e o linfedema é mais comumente unilateral. Um achado de exame físico útil para distinguir edema de linfedema é o sinal de Stemmer.

Você já tinha ouvido falar no Sinal de Stemmer?

O teste consiste em tentar levantar a pele na base do segundo dedo do pé (ou às vezes da mão) em uma prega cutânea.

Sinal de Stemmer positivo:
O sinal de Stemmer é considerado positivo quando não é possível pinçar e levantar a pele na base do segundo dedo do pé (ou da mão) devido ao espessamento da pele e tecidos subjacentes. A presença de um sinal de Stemmer positivo sugere a presença de linfedema.

Sinal de Stemmer negativo:
O sinal de Stemmer é considerado negativo quando é possível pinçar e levantar facilmente a pele na base do segundo dedo do pé (ou da mão). Um sinal de Stemmer negativo sugere a ausência de linfedema.

Considera-se que a incapacidade do examinador de levantar a pele do membro afetado em comparação com o membro contralateral reflete o acúmulo de líquido devido ao linfedema. No entanto, é importante lembrar que o sinal de Stemmer é apenas um teste clínico e não deve ser usado isoladamente para diagnosticar o linfedema. Deve-se considerar, também, que a obesidade pode causar um sinal de Stemmer falso-positivo. Apesar de serem altamente sensíveis, pacientes com sinal de Stemmer negativo e alta suspeita clínica de linfedema justificam o encaminhamento para linfocintilografia.

 

Uma vez excluído o linfedema, as 2 principais fontes fisiopatológicas de edema podem ser consideradas: aumento da pressão hidrostática e diminuição da pressão oncótica, conforme resumido no esquema abaixo:

EDEMA

  • Aumento da pressão hidrostática
    • Cardíaco
      • Cardiomiopatia
      • Doença valvar
      • Doença pericárdica
    • Cirrose com hipertensão portal
    • Insuficiência renal
    • Outros
      • Insuficiência ou trombose venosa
      • Gestação
      • Medicações (BCC, AINE, esteroides)
  • Redução da pressão oncótica
    • Diminuição da ingesta proteica
    • Diminuição da produção de proteína
      • Cirrose
    • Perda de proteína
      • Mal-absorção
      • Síndrome nefrótica

 

Referência:

Kittleson M, Panjrath G, et al. 2023 ACC Expert Consensus Decision Pathway on Management of Heart Failure With Preserved Ejection Fraction. J Am Coll Cardiol. null2023, 0 (0) .https://doi.org/10.1016/j.jacc.2023.03.393

Banner Atheneu

Banner Atheneu

Banner Atheneu

Banner ECG

Deixe um comentário

Sobre o autor

Humberto Graner

Co-Editor do site Cardiopapers
Especialista em Cardiologia e Medicina Intensiva
Professor das Faculdades de Medicina da UFG e UniEvangélica (Goiás)
Doutor em Ciências pelo InCor-HCFMUSP
Fellowship em Coronariopatias Agudas pelo InCor-HCFMUSP
Coordenador do Pronto Atendimento do Hospital Israelita Albert Einstein - Unidade Goiânia (GO)
Pesquisador da ARO (Academic Research Organization) - Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo (SP)

Deixe um comentário

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anúncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site