Atividade Física

Volume de exercícios e progressão de aterosclerose

Escrito por Silvio Póvoa

Esta publicação também está disponível em: Português

Será que existe associação entre o volume ou intensidade de exercícios físicos e progressão de aterosclerose? Publicado em Janeiro de 2023 , o Estudo MARC 2 (Measuring Athlete’s Risk of Cardiovascular Events 2) trouxe alguns dados interessantes.

Homens de meia idade foram avaliados em coorte quanto ao volume e a intensidade de exercícios semanais, e esses dados foram analisados com o Escore de Cálcio Coronariano e Angitomografia de coronárias. A intensidade dos exercícios foi dividida nos seguintes extratos:

3-6 METS horas / semana foi considerado moderada intensidade

6-9 METS horas / semana foi considerado alta intensidade

> 9 METS horas / semana foi considerado muito alta intensidade

(Quer saber dicas sobre como determinar a intensidade do exercício no seu paciente? Confira em: https://d3gjbiomfzjjxw.cloudfront.net/como-determinar-do-ponto-de-vista-cardiologico-a-intensidade-de-um-exercicio-fisico/)

A média de idade era de 54 anos, com seguimento de 6.2 +- 5 anos. Os participantes se exercitaram em média por 41 MET horas/ semana durante o follow up.

0% (0-19%) em moderada intensidade

44% (0-84% ) em alta intensidade

34% (0-80%) em muito alta intensidade

A Prevalência de calcificação coronariana subiu de 52-71% durante o seguimento.

O Escore de Cálcio Médio subiu de 1 (0-32) a 31 (0-132). O volume de exercícios não se associou com alterações nas placas ou no escore de cálcio. Exercícios de alta intensidade se associaram com menor aumento do escore de cálcio coronariano, enquanto atividade de muito alta intensidade se associou com aumento no escore de cálcio coronariano.

E agora, como interpretar isso ?

Por um lado pode haver uma preocupação com o exercício de muito alta intensidade , uma vez que ele se associou no presente estudo a maior calcificação coronariana. Seria isso uma manifestação de aumento de doença coronariana per si ou capacidade de mais rápida estabilização de placas ? O significado clínico desse achado ainda é incerto e carece de mais estudos. Por enquanto, as recomendações de exercício físico se mantém para a população em geral.

REFERÊNCIA

  1. Aengevaeren VL, Mosterd A, Bakker EA, Braber TL, Nathoe HM, Sharma S, Thompson PD, Velthuis BK, Eijsvogels TMH. Exercise Volume Versus Intensity and the Progression of Coronary Atherosclerosis in Middle-Aged and Older Athletes: Findings From the MARC-2 Study. Circulation. 2023 Jan 4. doi: 10.1161/CIRCULATIONAHA.122.061173. Epub ahead of print. PMID: 36597865. (https://www.ahajournals.org/doi/abs/10.1161/CIRCULATIONAHA.122.061173?url_ver=Z39.88-2003&rfr_id=ori:rid:crossref.org&rfr_dat=cr_pub%20%200pubmed)

 

 

Banner Atheneu

Banner Atheneu

Banner Atheneu

Banner ECG

Deixe um comentário

Sobre o autor

Silvio Póvoa

Deixe um comentário

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anúncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site